Campo Grande, 23 de Novembro de 2017



fullbanner_468x60px

Categorias



 

x Rural News Ms 14/11/2017 - 12:16:27

PF, CGU e Receita Federal apreendem documentos em vários endereços em Campo Grande


Na manhã desta terça-feira (14), agentes da Polícia Federal, da Controladoria-Geral da União (CGU) e da Receita Federal realizaram a 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, denominada Papiros de Lama. As investigações começaram supostamente após delação premiada do pecuarista e empresário, Ivanildo da Cunha Miranda, apontado como operador pela JBS. A operação envolve mais de 300 pessoas e investiga desvios estimados em R$ 235 milhões, com mandados de busca em Campo Grande, Nioaque, Aquidauana e São Paulo.

 

Ao todo, foram aplicados seis mandados de condução coercitiva e 24 mandados de busca e apreensão. O nome do pecuarista aparece na delação da JBS e em 17 páginas de documentos anexados no registro das denúncias feitas à Procuradoria Geral da República, na Operação Lava Jato, demonstrando que Miranda trabalhou como “gerenciador” do esquema entre os anos de 2007 e 2014, movimentando cerca de R$ 105 milhões.

 

A Polícia Federal também esteve na casa do empresário e dono da Proteco, João Amorim. Desde 2015, a Polícia Federal, a Receita Federal e a CGU investigam o empreiteiro. O empresário já havia sido preso em outras duas fases da operação.

 

Na primeira ação da força-tarefa, em julho de 2015, a investigação apontou que João Amorim seria o chefe da organização, especializada em desviar recursos públicos, inclusive federais.

 

Outra residência em Campo Grande, no condomínio Dahma II, também recebeu os agentes da Polícia Federal. A administração do local não informou quem é o morador.

 

Além disso, o escritório do filho do ex-governador, André Puccinlelli Junior, também foi alvo da operação.



Mais Notícias